Poder público poderá enviar mensagens e oferecer cursos sobre cuidados com bebês
Poder público poderá enviar mensagens e oferecer cursos sobre cuidados com bebês

Cuidar de bebês não é tarefa fácil, principalmente quando a gravidez não foi planejada. Os cuidados durante a primeira infância (período que vai da concepção aos primeiros 6 anos de vida) são essenciais, pois é um período fundamental para o desenvolvimento mental, emocional e de socialização do indivíduo. É nessa fase que as estruturas físicas e intelectuais de crescimento e aprendizado surgem e começam a estabelecer suas funções para o resto da vida.

Pelo fato de a primeira infância ser um período decisivo na vida, os cuidados com os bebês desde a gestação fazem toda a diferença na vida do indivíduo. Preocupado com o futuro das nossas crianças, o deputado federal Francisco Floriano (DEM-RJ) criou o Projeto de Lei 8952/2017, que obriga o poder público a enviar, por SMS ou aplicativo para smartphones, informações sobre os cuidados com bebês, desde a gravidez até os 18 meses de vida (1 ano e 6 meses).

O texto também prevê a obrigação das três esferas do governo (municipal, estadual e federal) de oferecerem cursos sobre o bem-estar físico e psíquico na primeira infância na primeira infância voltados para mães, pais e babás de crianças de 0 a 6 anos de idade.

O autor do PL, o deputado Francisco Floriano explica que interferir adequadamente na infância é um desafio e que os achados científicos recentes podem contribuir para a implementação de práticas e políticas, relativas à primeira infância. “Essa iniciativa contribuirá para que as nossas crianças sejam criadas em um ambiente afetivo fundamentado na compreensão, na tolerância, na paz e no respeito à sua diversidade”, afirmou o deputado que luta pela família brasileira.

De acordo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), um dólar investido na primeira infância gera economia de sete dólares em assistência social, atendimento a doenças mentais, manutenção de sistemas prisionais, repetência e evasão escolar, e 15 dólares por pessoa em doenças que continuam a se manifestar na vida adulta, como depressões, suicídios, homicídios, abusos de drogas, sintomas físicos, entre outros problemas.

A proposta será analisada de forma conclusiva pelas comissões de Seguridade Social e Família, e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu